Seções

Denuncias/Sugestões
Sindicalize-se
Links

Bolsa de Emprego

Cadastro de Currículo
Consulta de Currículo

On line

Últimas Notícias
Notícias Anteriores

Notícias Antigas


Sintonia

 

 

Novos convênios

 



5015

Ultimas Noticias

22.06.2016 - Ricardo Melo e participantes de audiência pública defendem a EBC

Em audiência pública das Comissões de Cultura, de Legislação Participativa e de Direitos Humanos e Minorias da Câmara realizada na última terça-feira (21/6), o diretor-presidente da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), Ricardo Melo, destacou que sua temporária exoneração do cargo foi como um "ato institucional”, em referência ao instrumento usado na ditadura militar para fixar decisões.

De acordo com a Agência Câmara, o evento foi promovido para discutir as regras de escolha do diretor-presidente da empresa. Melo questionou argumentos de que a TV Brasil, uma das emissoras controladas pela empresa, é governista e rebateu a defesa do fim do canal por suposta baixa audiência.

O diretor-presidente ressaltou que a TV tem audiência maior do que a divulgada oficialmente. “Onde o índio, o coletivo de mulheres, os LGBTs, o movimento sem teto e outros teriam espaço? É isso que irrita o governo que está aí. É um ataque político à democracia”, perguntou.

Melo reconheceu deficiências na administração da EBC, como confusão entre o estatal e o público, ampliação da rede e falhas de sinal, porém, afirmou que a solução deve vir de decisões internas, tomadas ao lado de instâncias de controle público, como a ouvidoria e o conselho de ética.

“A comunicação pública é um desafio recente, de 8 anos, e requer um trabalho de formiguinha para trazer a sociedade para o modelo de comunicação plural e inclusiva, sem seguir as regras de mercado”, completou.

O Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal e a Federação Nacional dos Jornalistas também defenderam a EBC. Jonas Valente, coordenador do Sindicato, afirmou que existem posições distintas entre os funcionários, mas que as críticas à gestão não podem virar motivo para fechar a empresa.

Segundo a Agência Brasil, a presidente do Conselho Curador da EBC, Rita Freire, destacou que não pode haver mudanças nos instrumentos que garantem a autonomia da EBC. Ela lembrou que a mídia pública, em alguma ocasião, necessitará abordar assuntos que não são de interesse do governo.

Já o deputado Julio Lopes (PP-RJ) criticou a emissora e falou sobre a falta de audiência da TV Brasil. “O que o governo Temer pretende é dar um novo momento ao Brasil, o que inclui rever as precárias condições de operação do sistema da EBC”. O deputado Arthur Maia (PPS-BA) afirmou que a empresa não atende ao preceito da competência, e a TV Brasil tornou-se ideológica e partidária. Fonte: Agência Brasil



Impressos


Rua Barão do Teffé, 252 - Bairro Menino Deus - Porto Alegre-RS CEP:90160-150

Fones:(51)3029.4730, 3233.3500, 3019.6730 e 3024.4164

webmail / Todos Direitos Reservados 2012