Seções

Denuncias/Sugestões
Sindicalize-se
Links

Bolsa de Emprego

Cadastro de Currículo
Consulta de Currículo

On line

Últimas Notícias
Notícias Anteriores

Notícias Antigas


Sintonia

 

 

Novos convênios

 



6036

Ultimas Noticias

28.03.2017 - CUT e centrais marcam greve geral para 28 de abril contra reformas da Previdência, Trabalhista, Terceirização e por nenhum direito a menos

A CUT e as demais centrais sindicais reuniram-se na tarde desta segunda-feira (27), em São Paulo, para definir uma agenda de lutas contra as reformas da Previdência, Trabalhista, a Terceirização e por nenhum direito a menos.

O próximo passo é o Dia Nacional de Mobilização, na próxima sexta (31), uma preparação para o 28 de Abril, dia já marcado para a greve geral em todo o país.

O momento, alerta o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, é de avaliar o fracasso das manifestações deste domingo (26), convocados pelas organizações que sustentaram o golpe contra a presidenta eleita Dilma Rousseff, mas sem baixar a guarda contra os inimigos da classe trabalhadores.

“Os atos de ontem demonstram que o povo brasileiro percebeu que foi enganado. As pessoas caíram na realidade de que houve um golpe mentiroso construído por meio da mídia e que apontava a queda da presidenta Dilma como solução para problemas. Mas, como já alertávamos, os problemas são estruturantes, se o Brasil estava em crise política, institucional e econômica, o golpe iria piorar”,

Vagner afirmou que a baixíssima adesão às manifestações não pode ser motivo para acomodação ou para acreditar que o Congresso não irá tocar as reformas.

“O Temer não se preocupa com popularidade, tem um papel a cumprir, determinado pelos golpistas. Sabe que tem prazo de validade até 2018 e vai querer implementar as maldades definidas por quem financiou o golpe e que deseja acabar com o Estado dos brasileiros, com os direitos sociais e impedir o Lula de ser candidato a presidente. Em dois dias a mídia constrói um fato novo que os coloca no jogo de novo ou aponta uma condução coercitiva, um interpelação contra alguém da esquerda para esconder a derrota”, falou.

De acordo com Vagner, o único caminho para a mudança é a luta. “O que muda o cenário que vivemos atualmente é o calendário de luta que a CUT está propondo, o Dia 31 de Março de luta e a paralisação rumo à greve geral no dia 28 de abril contra a retirada de direitos. É hora de fazer greve, de a gente conversar na fábrica, na igreja, na escola e mostrar que, se não nos mobilizarmos, todos os direitos serão jogados fora. Estamos mais fortes hoje do que no dia 15. Mas isso não é segurança para nós, o que nos garante é o enfrentamento”, defendeu.

Leia no link a seguir a nota das Centrais. http://www.cut.org.br/system/uploads/ck/files/28-de-abrilnota.pdf

Calendário de luta convocado definido pelo Fórum das Centrais Sindicais:

*31 DE MARÇO

Dia Nacional da Mobilização Rumo à Greve Geral

Durante todo o mês de abril, os sindicatos realizarão assembleias, reuniões, plenárias, manifestações nas empresas, portas de fábricas e locais de trabalho rumo à construção Nacional da GREVE GERAL.

*28 DE ABRIL – DIA DE PARAR O BRASIL!

Fonte: CUT Nacional



Impressos


Rua Barão do Teffé, 252 - Bairro Menino Deus - Porto Alegre-RS CEP:90160-150

Fones:(51)3029.4730, 3233.3500, 3019.6730 e 3024.4164

webmail / Todos Direitos Reservados 2012