Seções

Denuncias/Sugestões
Sindicalize-se
Links

Bolsa de Emprego

Cadastro de Currículo
Consulta de Currículo

On line

Últimas Notícias
Notícias Anteriores

Notícias Antigas


Sintonia

 

 

Novos convênios

 



3819

Ultimas Noticias

09.07.2015 - Senado aprova MP que estende reajuste do mínimo a aposentado

O Senado aprovou nesta quarta-feira, 8, a Medida Provisória 672, que estende a política de reajuste do salário mínimo até 2019. Quando passou pela Câmara, o texto recebeu emenda que estendeu a política de reajuste para os benefícios da Previdência Social, inclusive para quem ganha mais que um salário mínimo. O texto segue agora para sanção presidencial. O Planalto teme que essa nova regra prejudique as contas públicas.

Os senadores rejeitaram uma emenda apresentada pelo senador Cristovam Buarque (PDT-DF) e José Pimentel (PT-CE) à MP. Se fosse aprovada a alteração, o texto teria de voltar à Câmara para ser novamente apreciado pelos deputados. Com mais demora na tramitação, aumentava o risco de a MP "caducar", e era isso que o Planalto desejava. Mas a estratégia não funcionou. Aposentados que acompanhavam a votação do tema, nas galerias do Senado, comemoraram o resultado. A emenda foi rejeitada por 34 votos. Houve 25 votos favoráveis à emenda e uma abstenção. 

O governo gostaria, justamente, que essa Medida Provisória perdesse a validade. 

Se a estratégia de apresentar emenda no Senado tivesse dado certo, dirigindo a MP para a perda de validade, os aliados livrariam a presidente Dilma Rousseff do desgaste de um veto a essa emenda dos deputados. Com isso, o governo teria até o final do ano para propor ao Congresso um novo texto para a política de valorização do mínimo para vigorar entre 2016 e 2019, sem a emenda da Câmara.

A emenda foi rejeitada até mesmo por senadores petistas. O senador Paulo Paim (PT-RS) disse que a mudança proposta pela emenda poderia ser feita em algum outro momento, mas que não na votação no Senado, para evitar que a matéria voltasse à Câmara. O senador Walter Pinheiro (PT-BA) também defendeu a votação do texto da forma como ele foi aprovado na Câmara. Segundo ele, se a MP não fosse apreciada em tempo suficiente e perdesse a validade, se perderia a política de valorização do mínimo. Fonte: Relações do Trabalho



Impressos


Rua Barão do Teffé, 252 - Bairro Menino Deus - Porto Alegre-RS CEP:90160-150

Fones:(51)3029.4730, 3233.3500, 3019.6730 e 3024.4164

webmail / Todos Direitos Reservados 2012